Oi, prazer, eu sou a Karina! Ká para os amigos, Kaká e Kazinha para a família.

Quem está me conhecendo agora, deve estar se perguntando: “Mas o que uma publicitária, professora universitária de empreendedorismo e comunicação, agitadora de ações para startups e blogueira caiçara foi fazer no Masterchef?”

Por muitos anos, eu sempre investiguei, desde quando eu cozinhava e quando havia surgido a minha paixão pela gastronomia. Eu nunca soube responder isso. Até pouco tempo…

Recentemente eu descobri uma raridade: um caderninho de receitas feito pela minha vozinha. Na capa tinha uma dedicatória mais que especial, de uma das pessoas que eu mais amei nesta vida: a minha querida Vó Idi. Segundo o caderninho, cozinho desde antes dos meus 6 anos de idade.

A cozinha para mim sempre foi uma paixão. Cresci entre as panelas, na casa da minha avó, entre os temperos da hortinha, as plantações de abóboras e as galinhas correndo.

Cresci em Peruíbe, numa casa que sempre tinha cheiro de pão assando, comida muito saborosa e cheirosa e a sobremesa era sempre alguma invenção de fazer inveja em muito restaurante.

Filha de professores, enquanto meus pais davam aulas durante o dia, eu e meus irmãos ficávamos na casa dos meus avós, onde vivíamos essas aventuras gastronômicas todos os dias. Cresci vendo minha avó fazendo bolos, salgadinhos e encomendas para fora e meu avô, quando aposentado, vendendo os chocolates deliciosos que a minha avó fazia. Vale ressaltar que eu nunca me esqueci do aroma e do sabor do chocolate laranja (cor e sabor), o meu favorito da infância e que hoje não vemos mais por aí. Harold, se você está lendo isso, me ajuda a resgatar esse sabor de infância!

Quando criança, meu programa favorito era assistir a Cozinha Maravilhosa da Ofélia, junto com a minha avó. Gostava de anotar as receitas e ir para a cozinha fazer experiências. Eu fui crescendo e a paixão só foi aumentando. Surgiu a Palmirinha quando eu era adolescente e minha tradição com a minha avó se manteve: assistir e anotar receitas. Sempre esperta, ela tecia muitas vezes comentários sobre a receita ter potencial de dar certo, de agradar à família ou não… rs.

A vida profissional acabou me levando para outros caminhos. Fui estudar turismo, jornalismo, marketing e relações públicas. Gastronomia sempre foi uma paixão a que, por outras questões, nunca consegui me dedicar profissionalmente. Até agora…

Quando me mudei para Santos, todas as vezes em que ligava para Vó Idi, ela sempre vinha me contar uma receita nova. Enquanto ela continuava assistindo os programas de receita tradicionais, eu me aventurava maratonando Masterchef em suas versões nacionais e até mesmo as gringas, na TV a cabo. Henrique Fogaça, Paola Carosella e Erick Jacquin, sempre fizeram parte da minha casa… rs.

Se você leu até aqui, já sabe quem foi a minha maior inspiração na cozinha, né?! Sempre brinquei com ela, que um dia nós cozinharíamos juntas em um programa de TV. Infelizmente, este dia nunca chegou. Ela foi convocada há três anos para ir fazer seus quitutes lá no céu.

E por isso, quando vi a chance de fazer parte do Masterchef, não pensei duas vezes. Estava aí uma oportunidade de realizar esse sonho por nós duas. E que sonho!

Não é um sonho qualquer, afinal, participar do reality show gastronômico em uma das cozinhas mais difíceis do mundo, com seus ídolos, não é qualquer sonho. É um mega sonho!

Esse sonho foi apoiado pelos meus pais, que, quando eu disse que iria me inscrever, apoiaram-me no mesmo instante, tentando me preparar para qualquer necessidade, com treinos do tipo limpar quilos de peixes ou até mesmo desossar um frango inteiro… haha… Tudo isso, sem contar o fato de eles serem minhas cobaias para os testes das receitas. Obrigada, pai e mãe, pela paciência… rs.

Amo a culinária caiçara. Fui sempre a criança estranha cujo prato favorito é risoto de camarão, ao invés de bife com batata frita… rs.

E essa continua sendo a minha receita favorita! O risoto da minha mãe é algo de que nunca enjoo, e ela sempre faz para me agradar. Saudades mesmo eu tenho é da minha Vó Idi e da sua maravilhosa Moranga ao Lolu, que é o famoso camarão na moranga.

15 anos morando fora da casa dos meus pais e avós só me deram oportunidade de explorar cada vez mais a cozinha. Sou do tipo que vai à feira todo domingo comprar vegetais frescos, temperos diferentes e tem como programa favorito fazer compras de mercado. Sim, eu falei que sou estranha desde sempre… haha.

Adoro viajar e, quando estou por aí, sempre quero provar o máximo de coisas diferentes possíveis, mergulhando na gastronomia local.

Quando na cozinha, estou sempre cantando e ouvindo música e, de preferência, com uma taça de vinho na mão, para curtir o momento ao máximo. Cozinhar não é apenas um hobby: é uma paixão e uma terapia para mim. #cozinhaterapia

Sou louca por uma aventura e estou sempre dando a cara a tapa para testar algo novo nesta vida. Algo que me tire da zona de conforto e que me faça sentir a adrenalina de experimentar algo totalmente fora da curva. O Masterchef é uma dessas aventuras.

Com certeza esta será uma daquelas experiências que rendem altas histórias, seja em sala de aula, seja numa palestra, roda de amigos ou até mesmo no Tinder… haha. Os amigos e a família que lutem com as minhas loucuras e aventuras… kkkk.

Pense sempre: nunca é tarde para se realizar um sonho. E o que importa é a aventura. E essa aventura gastronômica só está começando.

Eu e meu fiel escudeiro, Thor, já estamos aqui, ansiosos para assistir.

Pegue a sua taça de vinho, ligue na Band e venha curtir essa experiência incrível comigo!

Leave a Reply